Pesquisar este blog

Carregando...

Migrando do HTML para o XHTML

Primeiramente, o XHTML (eXtensible Hypertext Markup Language) foi desenvolvido como um HTML voltado ao desenvolvimento XML. O XML precisa de uma linguagem de formatação mais rígida: quando os navegadores encontram um erro no HTML comum, como uma tag

sem o

, o erro é "consertado" automaticamente e ainda sim o usuário consegue visualizar a página; já com o XML, um erro desses faz a aplicação parar.

Além disso, cada navegador conserta o erro à sua maneira, o que significa que o que você vê funcionando num dispositivo pode virar uma bagunça em outro. Ou seja, o XHTML é a garantia de que seu site será exibido exatamente como você o desenvolveu, independente do dispositivo de saída - ou de se você trabalha com XML ou não. Isso evita o uso de hacks para corrigir bugs de navegadores (deixando a navegação mais rápida, já que o navegador não tem que processar essas correções) e ainda deixa seu código organizado para atualizações futuras.


As diferenças na prática

A primeira diferença é que todas as tags devem ser fechadas. No HTML, para separar um parágrafo do outro, você simplesmente colocava um

entre eles, e funcionava. Como isso estava errado, isso não será validado no XHTML: um parágrafo deve vir entre um

e um

, como manda a boa e velha organização.

Certo:

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
Nam quis nunc at diam euismod rhoncus.



Aliquam auctor laoreet dui. Nulla arcu arcu, placerat ut,
consectetuer et, tempus eu, urna.

Errado:


Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
Nam quis nunc at diam euismod rhoncus.


Aliquam auctor laoreet dui. Nulla arcu arcu, placerat ut,
consectetuer et, tempus eu, urna

Alguns elementos já têm uma tag de fechamento, como

e

, e , etc. Em elementos sem tag de fechamento, usa-se uma barra no final, como
/>,
/> e />

Uma coisa que ainda me dá trabalho é que todas as tags e atributos devem estar em letras minúsculas. Eu, que tinha o vício de escrever tudo em maiúsculas porque achava visualmente organizado, ainda esbarro nos meus próprios erros. Mas no final o código realmente fica mais "leve" de se ler.

Isso também vale para códigos de JavaScript: OnMouseOver deve ser substituído por onmouseover, por exemplo.

Certo:

Lorem ipsum dolor sit amet,
consectetuer adipiscing elit.

Errado:

Lorem ipsum dolor sit amet,
consectetuer adipiscing elit.

Valores de atributos devem estar entre aspas, e a tag img deve, obrigatoriamente, ter o atributo alt. Assim, se o dispositivo de saída não exibir imagens, um texto alternativo com certeza irá substituí-la.

Se o texto alternativo não se aplica a alguma imagem no seu site, você pode utilizar um espaço (alt=" ").

Certo:

"imagem.jpg" width="200" height="100" border="0" alt="foto" />

Errado:

Os elementos devem estar corretamente aninhados. Então se você abre um negrito dentro de um link, deve primeiro fechar o negrito e depois o link, fechando-os na ordem reversa, assim:

Certo:

Lorem href="http://lip.com/">ipsum dolor sit amet ...

Errado:

Lorem href="http://lip.com/">ipsum dolor sit amet ...

Não esqueça da acentuação! Os caracteres acentuados devem ser substituídos pelos seus códigos, especialmente o caracter & (e comercial), que é substituído pelo & mesmo em links. Uma tablea de acentuação e caracteres especiais pode ser encontrada neste link.

Certo:

Meu parágrafo tem acentuação e um
&color=blue">link

Errado:

Meu parágrafo tem acentuação e um
&color=blue">link

Mais uma regra é que o documento deve estar bem estruturado, com as tags principais (, e ) corretamente aninhadas e devidamente fechadas. A declaração DOCTYPE também é obrigatória e, por não ser uma tag propriamente dita, não precisa ser fechada nem estar em letras minúsculas.






...



...


Nos elementos a, applet, form, frame, iframe, img e map o atributo name foi substituído pelo id.

Certo:

id="ancora"> ancora

Errado:

name="ancora"> ancora

E, finalmente, não faça linhas de separação nos comentários com o caracter "-". Prefira *, = ou #, assim:

Certo:



Errado:

Mas e as desvantagens?

Bom, o XHTML não é suportado em navegadores antigos, como versões anteriores à 6 do IE. Mas, na prática, quando você migra do HTML para o XHTML num site comum só garante a organização do seu documento. Tags que agora são fechadas (como
) são interpretadas normalmente. Aqui vale o bom senso: consulte suas estatísticas de acesso, e se seus usuários ainda estiverem com os navegadores desatualizados aposte num HTML organizado.

O importante é sempre manter seu código limpo, tomando cuidado com a semântica (ou seja, utilizando uma tag para o que ela foi feita, e não para "quebrar galhos"). Tendo essa preocupação, não importa se você resolver migrar para o XHTML ou preferir continuar no HTML, seus sites sempre serão acessíveis, independente do dispositivo.

Posted on segunda-feira, junho 22, 2009 by Raul Pedro and filed under | 0 Comments »

0 comentários:

Não Achou o que Procura Pesquise Aqui!

Pesquisa personalizada

Aviso Importante - Temos de Uso

Todos os links e Conteúdo que se encontram neste blog, estao hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra, não hospedamos nenhum arquivo,cd ou programas que seja de distribuiçao ilegal.
Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador.
Eles podem ser baixados apenas para Estudo, devendo o usuário apagá-lo ou compra-lo após 24 horas.
A aquisicao desses arquivos pela internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário.
Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do blog nao tem responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuario venha a baixar e para que irá utiliza-los.
Termos de Uso
Os webmasters deste site, situados na url www.publicatudoinfo.blogspot.com ; seu servidor não são passíveis de serem processados judicialmente por causa de qualquer conteúdo publicado nessa página. Todos os arquivos contidos nessa página são com finalidade confidenciais e tem apenas fins de estudo e pesquisa, não podendo ser comercializado, reproduzido ou mesmo distribuído sem autorização dos respectivos titulares das obras originais.
Artigo 46 da legislação brasileira de direito autoral: III: A citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra.
Se você for usar qualquer arquivo desta página para qualquer outro fim, com exceção das finalidades originais, nós não somos responsáveis por suas ações ou qualquer resultado em conseqüência do uso deste site. Se você quiser usar um arquivo ou qualquer outro material baixado pelos links publicados neste site, você deve oficialmente comprá-lo após baixá-lo para testes, caso contrário, você provavelmente estará violando as leis de seu país.
Se você entrar neste site sem concordar com estes termos, você estará violando a cláusula 431.322.12 do ato da privacidade da internet assinado por Bill Clinton em 1995, quaisquer pessoas ou empresas que armazenam estes arquivos.